No primeiro artigo deste blog iremos focar-nos na Agricultura Biológica e sobre o futuro da mesma no nosso país. A Agricultura Biológica consiste no processo de produção de frutas ou vegetais de alta qualidade, usando práticas sustentáveis de cultivo, sem impactos nocivos na Natureza, ou tentando minimizá-los.

Este modo de agricultura usa métodos como a rotação de culturas, a compostagem, adubos tidos como verdes (evitando o uso de pesticidas e químicos ao máximo) numa tentativa de não contaminar o solo.

Os alimentos produzidos pelo modo de produção em Agricultura Biológica são o resultado de um cultivo em solos mais ricos em vitaminas, sais minerais e outros nutrientes, garantindo uma melhor nutrição e uma ingestão mais saudável.

Dado que na Agricultura Biológica se procura não utilizar ou aplicar qualquer adubo ou fertilizante químico, o consumidor final tende a privilegiar este produto pelo que estes podem evitar em termos de problemas de saúde no futuro.

A área dedicada a agricultura biológica mais que duplicou na última década

O único senão geralmente prende-se com o preço mais elevado destes produtos, que está muito ligado à menor produtividade neste modo de produção.

Na Agricultura Biológica há uma preocupação essencial com a conservação do solo e das suas propriedades e qualidade orgânica, pois pretende-se que este seja utilizado consecutivamente, sem prejuízo para gerações futuras que o queiram explorar.

A Agricultura Biológica é cada vez mais procurada por novos produtores especialmente pela tendência recente do consumidor em ter um maior cuidado com as questões de saúde, procurando escolher os melhores produtos para o seu consumo e da sua família. No entanto, algumas mudanças começam já a aparecer com a legislação europeia mais recente:

  • a aceitação de níveis mínimos de contaminação por pesticidas já a partir de 2024
  • redução dos controlos obrigatórios que obrigam a que produtores, lojas ou indústrias sejam alvo de ações de inspeção uma vez por ano
  • regra ‘solo vivo’ – hidroponia, pode ser rejeitada para ser certificada como biológica
  • as espécies que se podem cultivar em modo de produção biológico serão alargadas.

A Agricultura Biológica produz produtos de mais alta qualidade em regra e com mais sabor, no entanto este modo de produção é também mais caro habitualmente e por isso mesmo obtém apoios do Ministério da Agricultura que em regra são superiores a quem produz por exemplo pelo modo de Produção Integrada.

Em 2016, a agricultura biológica ocupava já cerca de 6,9% da Superfície Agrícola em Portugal

A Agricultura Biológica por ter subjacente uma menor produtividade por hectare na generalidade das culturas, implica que o agricultor peça um valor superior por Kg de produto do que um agricultor a produzir por meios tradicionais.

Neste blog iremos focar-nos bastante neste tema e publicar muita informação de apoio para quem quer iniciar a sua produção em regime de Agricultura Biológica.

Relacionado: Plantar Mirtilos

Alimentos de alta qualidade para uma vida sã 

Como qualquer modo de produção, exige certificação por um organismo independente para que se seja aceite como produtor biológico.

Esta certificação apesar de ter um custo, é também uma garantia para quem compra o produto, sendo essencial para o produtor obter este selo de qualidade nos seus produtos.

Altos responsáveis da UE continuam a realçar o crescimento “a superfície agrícola dedicada à produção biológica mais do que duplicou na última década e ainda está a crescer”.

Este modo de produção passará a ser reconhecido como uma forma de defesa do meio ambiente.

No que diz respeito ao comércio deste tipo de produtos, os comerciantes em mercados de biológicos passam a estar dispensados de certificação como operadores.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

fourteen + fourteen =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.